28/6/2022

Juros em alta, inflação em 2 dígitos, eleições, mercados em baixa, recorde de entrada de capital estrangeiro na bolsa, é o momento para investir em ações?

Por incrível que pareça, o atual cenário para investimentos no Brasil está atraindo investidores estrangeiros, que não encontram em outros países a mesma oportunidade para investir em ações a preços tão atrativos.

Nesse artigo você entender:

Quais são os fatores que estão atraindo recursos estrangeiros para o Brasil?

A partir da segunda metade de 2021, o pessimismo tomou conta do mercado de ações brasileiro. Entre os motivos estão: a alta dos juros acima do que era esperado, aumentando o custo de oportunidade do investimento em ativos de risco; o deteriorado cenário fiscal do Governo, que mais do que dobrou a dívida pública desde 2015 (atingindo o patamar dos R$ 7 trilhões); a inflação, que atinge alta de 11,73% nos últimos 12 meses; e além de tudo, a expectativa de uma eleição extremamente polarizada.

Com a inflação alta, alguns ativos servem para proteger o seu patrimônio. Neste outro artigo mostro 4 tipos de investimentos para se proteger da inflação.

Apesar de todos esses pontos, os investidores estrangeiros ainda estão enxergando boas oportunidades de negócios no país. O saldo do fluxo estrangeiro está próximo de R$ 50 bilhões em 2022, prestes a superar 2009, o ano recorde de entrada de capital estrangeiro na bolsa, tendo fechado com saldo de R$ 50,9 bilhões.

Gráfico 1: fluxo de capital estrangeiro na bolsa de valores do Brasil | Fonte: B3, Elaborado por: Eleven Financial Research

Esse fluxo positivo é explicado por alguns fatores: 

Gráfico 2: P/L histórico do IBOVESPA | Fonte: oceans14.com.br

*O múltiplo P/L é a razão entre o valor de mercado de uma empresa e seus lucros, nos indicando quantas vezes os lucros de determinada empresa o mercado está disposto a pagar. Exemplo: Se uma empresa tem um valor de mercado de R$ 10 bilhões e gerou um lucro de R$ 1 bilhão em determinado período, dizemos que ela está sendo negociada a um P/L de 10x.

Quando esse múltiplo está muito elevado, costuma ser um sinal de euforia; quando baixo, um sinal de pessimismo (e oportunidade).

Por que o real se valorizou tanto em 2022?

A entrada de capital no país é o principal fator que levou à recente valorização do real (o dólar e o euro não foram negociados a um patamar tão baixo desde o primeiro trimestre de 2020) e tem sido responsável pelo desempenho superior do IBOVESPA em relação aos índices internacionais, como o SP500.   

É um bom momento para investir em ações?

Diversas ações no Brasil estão sendo negociadas a múltiplos muito atrativos. Temos a oportunidade de investir em ações por múltiplos de preço de 2008, a maior crise financeira em 80 anos.

Infelizmente, o psicológico das pessoas funciona de forma inversa, quando se tratando de investimentos. Enquanto o mercado está em alta, o assunto está presente a todo o momento e ninguém quer ficar de fora. Todo mundo enche a boca para orgulhosamente falar que o investimento que fez subiu 20%, 30%, ou mais.

Quando a onda se inverte, o mercado entra em um ciclo de baixa e o investidor tem a oportunidade de investir nas mesmas empresas que estavam sendo negociadas 40% mais caras recentemente, então ele perde o interesse e vende suas ações na baixa.

Por mais ciclos que passemos, esse movimento parece sempre se repetir. Os “sardinhas” compram na alta dos grandes investidores e vendem na baixa para aqueles mesmos de quem compraram recentemente.

Se você quiser se aprofundar nesse tema, nosso diretor de consultoria, João Scognamiglio CFP®, escreveu um artigo sobre as 7 razões pelo qual o momento de começar a investir em ações é hoje.

Conclusão

Há diversos fatores de risco à frente que levam ao pessimismo atual. O mercado não deixará “dinheiro na mesa” fácil para você, mas, certamente, comprar ações agora, enquanto estão sendo negociadas por ⅓ dos múltiplos de alguns semestres atrás são mais interessantes do que em meio à máxima histórica. É em meio ao pessimismo e aos ciclos de baixa quando nos são apresentadas as maiores oportunidades de investimentos.

Atente-se! Não é porque o mercado de ações  está barato que qualquer ação que você comprar vai te proporcionar um bom potencial de retorno. É importante fazer uma análise ao nível micro dos setores e das empresas que pretende investir, de seus indicadores financeiros e entender como elas podem se comportar nos próximos semestres, considerando principalmente os fatores de risco que temos à frente. 

E claro, não é porque você está enxergando uma boa oportunidade à frente, que você deve concentrar todo o seu capital nela, afinal sempre podemos estar errados. Antes de qualquer oportunidade, respeite seu perfil e tenha uma carteira alinhada aos seus objetivos.

Quer conhecer algumas das empresas mais interessantes para investir nesse momento, além de outras oportunidades fora do mercado de ações? Entre em contato conosco pelo link no nosso formulário aqui, e marque uma conversa sem compromisso com um de nossos planejadores financeiros!

Está na hora de investir em Tesouro Prefixado?

Com o aumento da taxa de juros alguns investimentos voltam a ter visibilidade. Será que está na hora de investir no Tesouro Prefixado?
João Scognamiglio, CFP®
Diretor de Consultoria

O que não te contam sobre os dividendos

Será mesmo que investir em empresas boas pagadoras de dividendos é uma boa estratégia?
André Falcão, CGA
Economista

Panorama de Mercado - Junho de 2022

Separamos os principais acontecimentos econômicos do Brasil e do mundo para você que não teve tempo de acompanhar
André Falcão, CGA
Economista

Panorama de Mercado - Maio de 2022

Nesse artigo trouxemos nossa avaliação dos principais acontecimentos atuais da economia e mercados nacional e internacional.
André Falcão, CGA
Economista

Panorama de Mercado - Dezembro 2021

Confira os principais acontecimentos do mês de dezembro do Brasil e do mundo, que impactam nos seus investimentos.
André Falcão, CGA
Economista

Panorama de Mercado - Novembro 2021

Confira os principais acontecimentos do mês de outubro do Brasil e do mundo, que impactam nos seus investimentos.
André Falcão, CGA
Economista