7 razões pelo qual o momento de começar a investir em ações é hoje

João Scognamiglio
Diretor de Consultoria
30/8/2021

Muitas pessoas que estão iniciando no mercado financeiro tem preocupações acerca do momento de investir. Quando o assunto é mercado de ações, essas preocupações são ainda maiores.

“Será que essa é a melhor hora de comprar ações?”

“Será que o mercado vai cair mais?"

“É melhor esperar passar essa fase para começar”.

Se alguma(s) dessas frases já pairou a sua cabeça em algum momento, esse artigo com certeza vai te ajudar.

Nele você aprenderá:

Motivo #1 - Não é possível adivinhar quando uma forte queda irá ocorrer.

Imagine que você escolhe 10 empresas para o seu portfólio e, em uma delas, você acerta exatamente o melhor momento de comprá-la: no menor preço da história.

Provavelmente isso vai te deixar muito feliz e você vai até mostrar pros seus amigos a façanha que você conseguiu: “comprei Petrobrás a R$ 12,00.”

Porém, seguindo essa mesma lógica, como você reagirá às outras 9 empresas que você comprou? Você percebe que é impossível tentar adivinhar o melhor momento de compra de todas as suas empresas?

Ou melhor, percebe que se você ficar tentando acertar o melhor momento para comprar, você seguirá frustrado pra sempre?

Pois é, investir apenas quando tiver queda, é inviável. Você não adivinha nem queda, nem subida.‍ É impossível para qualquer investidor, acertar o timing da maior parte das empresas que investem, até para profissionais de trade isso é inviável.

‍Por outro lado, milhões de investidores seguem comprando ações todos os dias na bolsa e tendo resultados consistentes mesmo sem “acertar” o melhor momento de compra, e isso só é possível porque não importa o timing, se os fundamentos estiverem corretos.

Encontrar uma empresa com um valor intrínseco maior que o seu preço de mercado é muito mais fácil e possível que acertar o timing do ativo.

Portanto, se você está esperando o momento de queda para começar, não é por aí que você vai ganhar com ações.

Motivo #2 - Boas empresas continuarão sendo boas empresas

Apesar do índice Bovespa mostrar como as principais ações da bolsa estão se comportando, isso não reflete todas as empresas. Muito pelo contrário, a realidade das grandes empresas da Bolsa não reflete o que ocorre com empresas menores, mas saudáveis.

Uma empresa com lucro consistente e dívidas controladas trará retorno ao seu acionista mesmo que não haja valorização das suas ações, e isso é excelente.

Imagine que você comprou ações de uma empresa que possui lucros que correspondem a 10% do preço das suas ações. Caso o preço dessa empresa caia pela metade, sem afetar o seu funcionamento, você imaginaria que isso seria uma boa notícia?

Se por um lado, o preço das suas ações caíram pela metade, por outro lado, isso significa que os lucros representam agora 20% do preço da ação.

Ou seja, você, como sócio e acionista, receberia em 5 anos todo o valor pago nessa empresa apenas com os lucros que ela te retornou. Do ponto de vista de um investimento, as ações dessa empresa se tornaram mais atrativas.

Por esse motivo é importante entender que preço e valor são coisas diferentes. Você, como investidor, deve focar no valor e não no preço. Queda de preço pode ser sim uma boa notícia.

Uma boa empresa continuará sendo uma boa empresa, apesar dos preços.

Motivo #3 - No longo prazo, as quedas são insignificantes.

Nenhum investidor sério ficou rico do dia para a noite na bolsa. Isso significa que todos eles tiveram anos dedicados à investir, e isso tem um significado valioso: consistência.

Se acertar o timing sempre é impossível (como vimos no motivo #1) e não conseguimos prever crise, é natural que você precisará investir em períodos de alta e de baixa na bolsa.

E a boa notícia é que, no longo prazo, as grandes crises se tornam pequenos períodos de volatilidade, quando olhado em termos de décadas.

INSERIR FIGURA DA BOLSA AMERICANA PASSANDO POR CRISES E CRESCENDO.

Benjamin Graham e Phillip Fisher passaram pela crise de 29. Buffett passou pelo pós guerra, inflação de 70, bolha ponto com e subprime. Grandes investidores sempre enfrentaram crises estando na bolsa e isso nunca tornou eles maus investidores, muito pelo contrário.

‍Se você mantiver a consistência, você comprará tanto nos picos, quanto nos vales, e o crescimento de longo prazo das empresas trará o resultado que você almeja.

Motivo #4 O preço médio é mais importante que o preço inicial.

Começar a investir num preço muito bom não significa que será sempre assim. Mesmo que você retorne duas vezes o valor investido (em um caso extremo de rápida valorização), isso é muito pouco comparado ao potencial de retorno de uma boa empresa no longo prazo.

Há dezenas de exemplos de empresas brasileiras que cresceram várias vezes o seu valor de mercado nos últimos 20 anos: WEG, Itaú, Raia Drogasil e Magazine Luiza são apenas algumas delas.

Se uma pessoa deixou de comprar a RADL3 em 2015, porque o preço da ação tinha valorizado mais de 100% em um ano, perdeu dinheiro quando em 2017 ela já tinha dobrado novamente o seu preço.

Quando você compra com consistência empresas que têm reportado melhorias no seus resultados, como receita, margens, lucros e dívidas, você está se tornando sócio de uma máquina de fazer dinheiro.

Ao mesmo tempo, quando você tenta adivinhar o preço de entrada de um ativo, você além de perder tempo da sua vida fazendo coisas improváveis, você deixa de aproveitar a oportunidade de comprar uma boa empresa só para tentar comprar uma ação por alguns centavos a menos.

Começar a investir é o menor capital que você terá em décadas. Assim, começar o quanto antes vai te dar experiência para quando seu dinheiro estiver maior.

Motivo #5 Microalocação importa menos que macroalocação.

Encontrar a próxima Magazine Luiza da bolsa é uma atividade que não faz sentido para uma pessoa inexperiente. Isso porque o turnaround (reviravolta nos lucros) é muito incomum e estatisticamente improvável.

Por mais que você invista em uma boa empresa, se o mercado não ajudar, dificilmente você verá um bom retorno no curto prazo.

Quem investiu na bolsa brasileira de 2010 a 2015 viu a bolsa andar de lado e ficou bastante apreensivo, já a renda fixa estava de vento em popa, devido à alta taxa de juros.

Estudos revelam que 91,1% do seu resultado no longo prazo está na distribuição das classes de ativos (ações, renda fixa, moedas..) e apenas 20% no ativo em si. Ou seja, saber balancear renda fixa e variável é mais importante que escolher a melhor ação da sua carteira.

Por isso, não espere que você precisa ser um expert do mercado para começar a investir. Escolher boas empresas, aliado a uma estratégia de montagem de carteira é a melhor forma de começar, e você pode fazer isso agora.

Quer montar uma carteira perfeita para o seu perfil como investidor e os seus objetivos pessoais e profissionais? Agende uma conversa com um de nossos planejadores.

Motivo #6 A inércia é o principal inimigo do iniciante

Deixar para depois é uma atividade mais fácil que tomar uma decisão e, por isso, muitas pessoas esperam a melhor hora para começar, mesmo que essa hora nunca chegue. Por isso, buscar o momento certo pode ser um dos maiores erros de quem está começando.

Começar a investir vai te obrigar a olhar pros seus investimentos e a estudar, isso vai te fazer ganhar tempo no longo prazo e deixar os juros compostos atuar.

Além disso, o efeito dos juros compostos é potencializado pelo tempo. Por isso, começar o quanto antes vai reduzir a necessidade de ganhos extraordinários ou aplicações mensais muito grandes lá na frente para compensar o tempo perdido.

Assim, agir agora pode ser mais coerente do que procurar o melhor momento para isso.

Motivo #7 Você não precisa passar horas estudando

Investir em ações para o longo prazo não requer muito tempo. Um pouco de filtro nas escolhas de boas ações já te fazem encontrar boas empresas. Com isso e um preço coerente, você já pode começar.

Caso você não tenha tempo para estudar e analisar os ativos, não tem problema, você pode contar com empresas que possam fazer esse serviço por você. O importante é buscar empresas que sejam isentas e independentes. Para isso, basta procurar saber quem paga o salário do seu consultor. Se for o banco ou à corretora, muito cuidado.

A Múltiplos possui 5 anos no mercado de consultoria independente de investimentos. Indicamos produtos de investimentos para nossos clientes compatíveis com seus objetivos.

Quer conhecer melhor o nosso trabalho? Fale com a nossa equipe.


Manual do Pequeno Investidor

9 dicas simples de como ajudar na educação financeira do seu filho.
João Scognamiglio
Diretor de Consultoria

Panorama de Mercado - Setembro de 2021

Confira os principais acontecimentos do mês de setembro do Brasil e do mundo, que impactam nos seus investimentos.
André Falcão
Economista

Está em dúvida sobre contratar uma consultoria de investimentos? Faça essas 4 Perguntas antes de tomar uma decisão

Tem dúvidas se uma consultoria financeira é ideal para você? 4 perguntas para se fazer antes de tomar uma decisão de contratar esse serviço.
Arthur Falcão
Planejador Financeiro

Commodities: como investir e quais os 6 cuidados que você deve ter?

O Brasil tem observado um forte aumento do preços de commodities. Será que vale a pena investir em ações de empresas produtoras de commodities?
Arthur Falcão
Planejador Financeiro

Panorama do Mercado - Agosto de 2021

Confira os principais acontecimentos do mês de agosto do Brasil e do mundo, que impactam nos seus investimentos.
André Falcão
Economista

Como investir em meio a um ciclo de alta de juros?

Após 5 anos de sucessivos cortes da taxa básica de juros brasileira volta a subir. Como investir em um cenário de aumento na taxa de juros?
Arthur Falcão
Planejador Financeiro